[3. 11] UMA REGRA SEM EXCEÇÃO.

COLOSSENSES. UMA REGRA SEM EXCEÇÃO.

 "E aí (em Sua presença) já não há grego nem judeu, circunciso ou incircunciso, estrangeiro ou bárbaro, escravo ou livre, mas apenas Cristo, que é tudo em todos".

(Cl 3. 11- E. Pastoral Católica).

            Gregos e troianos, ingleses e franceses, brasileiros e paraguaios, judeus e palestinos. Desde que o homem saiu do Éden, ele vem tentando provar que pode ser bom em alguma coisa seja ela qual for. Inclusive melhor do que outros homens. Esse desejo de preeminência deu origem a uma das piores coisas da vida do homem: - O desejo de superioridade racial!

            Através das lutas e das guerras o homem vem buscando superioridade. Parece até que isso lhe trará isenção no julgamento que Cristo trará as nações. A igreja de Cristo aos seus olhos não tem cor, raça, origem, cultura, tradição, ou seja, lá qual for o instrumento que nos diferencie. Ele fala todos os idiomas e lê todos os corações da mesma forma. Ao escrever a sua igreja, Cristo vê todos com o mesmo olhar, uma comunidade ressurreta que não tem origem, senão celestial (3. 1, 3). Seja lá qual for à falha ou o pecado, todos receberão a mesma punição. É claro que Deus não ignora coisas como porquê, onde e como. O Justo Juiz leva tudo em conta, Aleluia! Não há na igreja classes sacerdotais acima do bem e do mal, se há é por que nós as criamos, não Cristo. Estamos à porta do período mais tenebroso que a igreja vai enfrentar (O Cirandar de Simão), pois o anticristo vai aproveitar toda essa fome por poder que o homem tem, para executar seus planos, esteja o homem onde estiver. Inclusive na igreja. Em Efésios vemos que ao criar a igreja, Cristo tomou duas decisões importantes e vitais para seu sucesso:

- Ele excluiu o homem de sua decisão, isto é, somos salvos exclusivamente pela graça. O homem não pode se salvar por suas obras. Isso nos iguala e vem de encontro a nossa natureza pecaminosa e belicosa. Imagine duas pessoas se matando para saber qual delas dará comida para um mendigo (Ef. 2. 8, 10).

- Ele derrubou o muro de separação que havia entre nós, em Cristo todos somos um (Pluribus Unum). Cristo destruiu a inimizade que separava os povos. Isso foi pago com preço de sangue, o sangue precioso do Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo. Se Deus tivesse um consultório espiritual na terra, nenhuma nação teria privilégios especiais, todas teriam que pegar senha e esperar sua vez. 

            A hierarquia espiritual que existe na igreja é para sua ordem e não para trazer privilégios a ninguém. O que trás privilégios ao Crente é busca por intimidade com Cristo. Ao escrever sobre coisas que tem efeito positivo em nossa vida com Deus, Paulo é contundente, isso mesmo, Paulo quer ferir o orgulho de quem acha que tem por algum motivo prioridade diante de Deus. O que serve para um, serve para todos, do porteiro ao pastor. Deus não abre mão de ninguém na igreja, por que a Igreja é seu corpo na terra. Para Cristo todos nós somos iguais e qualquer coisa diferente da opinião Apostólica é diabólica e terrena. 

11/06/2003.


Ney Gomes.
"Se trabalhamos e lutamos é porque temos colocado a nossa esperança no Deus vivo." 1 Timóteo 4.10

Postagens mais visitadas