Poesia - Pequeno Ensaio Sobre o Éden.

 

 

PEQUENO ENSAIO SOBRE O ÉDEN.

Ensaio Primeiro.

Com poucas palavras Deus faz coisas significativas; foi assim e sempre será. Uma palavra para cada dia, e cada dia acrescia ao outro mais beleza e mais razão. Havia mais uma coisa para ser dita e isso é que daria sentido a tudo o que já havia sido feito.

 

Ensaio Segundo.

Só o mais puro amor produz sentenças libertadoras. Por isso, só Deus poderia dizer: "Não é bom que o homem esteja só". Essa criação era fundamental para a nomenclatura de todas as coisas que cresciam da terra, do jardim. Sem amor, nome não tem sentido, nem cheiro, nem cor e nem sabor.

 

Ensaio Terceiro.

A costela foi um pretexto para fazer Adão adormecer. O que interessava a Deus mesmo eram seus sonhos. O que se faz de uma costela só é importante se ela estiver impregnada de sonhos. São eles que tornam qualquer coisa importante. E tem sido assim, com barro, costela e qualquer outra coisa.

 

Ensaio Quarto.

Deus não ensina o segredo das coisas, mas, a importância delas. Todas as coisas foram feitas com o mesmo amor e portando a mesma essência. E foram feitas para se admirar logo ao acordar.  Como tudo mais, Eva era uma dádiva. E dádiva para os homens é que aquilo que permanece lá, depois que você fecha os olhos; imagina ou sonha.

 

Ensaio Último.

Conclusão dolorosa: E quem poderia imaginar que o pecado nasceria do amor que compartilha.

 

Ney Gomes – 21/01/2011.

 

Postagens mais visitadas