[4. 2- 6] DO LADO DE FORA NOVAMENTE (2010).

25/09/2010.

COLOSSENSES. DO LADO DE FORA NOVAMENTE.

 

Perseverai na oração, vigiando com ações de graças. Rogai, ao mesmo tempo, de igual maneira por nós, para que Deus abra uma porta para nossa mensagem, a fim de que possamos proclamar o mistério de Cristo, pelo qual estou preso.  Orai para que eu consiga manifestá-lo francamente, como me cumpre fazê-lo.  Portai-vos com sabedoria para com os que são de fora; aproveitai ao máximo todas as oportunidades. A vossa maneira de falar seja sempre agradável e bem temperada com sal, a fim de saberdes como deveis responder a cada pessoa.

 (Cl 4. 2- 6 – King James Atualizada).

 

Próximo de terminar sua carta aos colossenses, Paulo é duramente atingido em suas palavras pela verdade que tão de perto nos rodeia (day after). E para lembrar que o mundo é imperfeito, ele começa pedindo que todos tenham uma vida de oração (v. 2). Que orem até se tornarem vigilantes e graciosos em seu falar. Por que lá fora, os homens ainda vivem segundo as suas paixões, em maledicência e com modo indecente de expressão [3. 8].  Não sabendo ao certo o que lhe aconteceria, pede oração, para que soubesse exatamente onde empregar os poucos recursos que ainda lhe restavam (v. 3). Nesse tempo, em todos os lugares, havia os que por medo, desistissem da fé. Era preciso por conta disso, bater na porta certa e tocar de forma efetiva, por meio das palavras, os corações (v. 4). Um clima de hostilidade e perseguição começa a se formar e algumas palavras, podiam ser o suficiente para "agitar uma cidade". Era preciso encarar isso com seriedade, pois por essas coisas é que ele estava preso.

            Quando adolescente, tinha a mania de tirar algo – uma lembrancinha – de minhas namoradinhas. Anéis, brincos, pingentes, pulseiras. Paulo conhecia bem essa natureza de tirar das pessoas alguma coisa, e ensinou a igreja a ter sempre uma boa quantidade de sabedoria para deixar se perder (v. 6). Não dá para ganhar sempre, e se a gente tem de perder algo, que seja sabiamente. Somente agindo assim, é que podemos considerar as oportunidades como bem aproveitadas.

            Para as pessoas normais, é prazeroso ouvir no ônibus um pai falando de seus filhos, da alegria que sente em voltar para casa, em como é bom ser honesto. Depois de um dia exaustivo de trabalho, confesso que quando ouço coisas assim, sinto como que se meus ouvidos estivessem sendo limpos. Na que os homens depositam na boa política, enquanto sentados na barbearia. Com as pessoas que declaram os valores que quando crianças receberam de seus pais. Com aqueles que não maldizem, quando mal tratados na fila do banco ou no mercado. Em todos os lugares alguém sempre prestará atenção no que falamos, e por conta disso, é bom saber como falar e o que responder numa eventual indagação (v. 6). Além do mais, o que falamos, denuncia claramente as pessoas com quem nos relacionamos e os valores que cultivamos (vs. 7, 8).

            A igreja prepara a vida para dar certo, e numa igreja genuinamente Cristã, ela começa a dar certo quando a reunião acaba e as luzes se apagam. Sem o dia seguinte a igreja é só um parque de diversões, um lugar legal, onde gente bonitinha faz música com o barulho de suas moedinhas. Um reino de encantos que não cessa jamais. Lá fora, há pessoas para quem devemos prestar contas, ter o coração e a mente abertos (vs. 8, 9). E se o que falamos no culto hoje não é algo do qual devemos nos envergonhar, é bom para o mundo que amanhã bem cedinho as pessoas saibam disso.

Ney Gomes.
"Se trabalhamos e lutamos é porque temos colocado a nossa esperança no Deus vivo." 1 Timóteo 4.10

 

 

Postagens mais visitadas