[4. 10, 11] COLOSSENSES. SONHAR É IMPORTANTE!

COLOSSENSES. SONHAR É IMPORTANTE.

 "Aristarco, que está preso comigo, vos saúda, e Marcos, o sobrinho de Barnabé, acerca do qual já recebeste mandamentos; se ele for ter convosco, recebei-o; e Jesus, chamado Justo, os quais são da circuncisão; são estes unicamente os meus cooperadores no Reino de Deus e para mim têm sido consolação". 

(Cl 4. 10, 11 – VRC). 

            Exegeticamente, essa é uma das passagens mais ricas da Bíblia, pois nos revelam como em poucas vezes, traços profundos sobre a personalidade de Paulo. Não só isso, mas também sobre seus medos e temores. Sempre levei em consideração, que a capacidade de um grande líder é saber sonhar o sonho de seus liderados. Tenho isso como algo profundo e presente em minha vida. Muitas vezes todo o bem que desejamos, é sonhado pelos outros, como no caso de José, filho de Jacó (Gn. 41). Todas as realizações do Reino de Deus nascem do principio de que somos um povo que sonha. Sonhamos com um mundo rendido os pés de Cristo; sonhamos com uma igreja perfeita; sonhamos com um ministério de louvor incrível; sonhamos com um super pastor; enfim, nós somos um povo que vive em meio há muitos sonhos, Aleluia!

            Em sua prisão domiciliar, longe dos que sonham os sonhos de Deus, estava o Apóstolo Paulo. À medida que se passava o tempo, Paulo percebia que ficava mais irritadiço; seus medos e temores começavam a se tornar muito reais, tão reais, quanto sua esperança em Cristo. Na Ásia, Paulo viveu algo semelhante; depois da ocasião ele disse até ter desesperado da vida (II Co 1. 8). A Prisão já começava a lhe embrutecer os sentimentos. A cada dia sentia o morrer um pouco, e não era essa a morte que ele esperava viver (Gl 2. 20). Poucas pessoas conseguiam fazer por ele, o que ele fez por tantos. Mas havia um grupo de pessoas, que sabiam que o que mantinha Paulo vivo era os sonhos de uma igreja que amasse a Cristo verdadeiramente. Esse grupo andava pelas igrejas locais e até as mais distantes, recolhendo para Paulo os sonhos de Deus. Sonhos selecionados, robustos, que falavam de uma igreja poderosa, vitoriosa e atuante tal qual seu Senhor. Paulo sonhava os sonhos de Barnabé, Marcos, Onésimo, Epafras, Epafrodito, Demas e de todos os outros que estavam por ali e sempre lhe visitavam. Dessa maneira Paulo se mantinha vivo e realizado, sonhando sem constrangimento algum os sonhos dos outros. Lamento ver que muitos lideres hoje perderam essa coragem. Às vezes eles têm, mais são egoístas demais para sonhar os sonhos de Deus de outra pessoa.

            Consolação vem do grego, paregoria, que dá origem a palavra paregórico, em português. Paregoria denota segundo o dicionário Vine, consolo, conforto, refrigério e alívio. Enfim, consolação é calmante, que suaviza ou acalma as dores. O que descobrimos é que Paulo era homem o suficiente para acreditar na vida espiritual de seus liderados. Tenho todos os dias que lembrar que a vida de Deus não habita somente em mim, e que não sou o dono da razão. Se um homem como Paulo, que não tinha a necessidade de sonhar os sonhos dos outros sonhava, por quê não devo sonhar?

Quando começarmos a sonhar os sonhos uns dos outros, o mundo saberá que somos verdadeiramente, discípulos de Cristo, como Ele sonhou (Jo 13. 34, 35).     

           Deixe os Sonhos de Deus fazer bem ao seu coração!

 
 
Ney Gomes - 29/07/2003.
"Se trabalhamos e lutamos é porque temos colocado a nossa esperança no Deus vivo." 1 Timóteo 4.10
 
 

Postagens mais visitadas