Escatologia - Os Mais Sábios Sabem (Daniel 3. 3).


OS MAIS SÁBIOS SABEM.

"Assim todos eles, sátrapas, prefeitos, governadores, conselheiros, tesoureiros, juízes, magistrados e todas as autoridades provinciais se reuniram para a dedicação da imagem que o rei Nabucodonosor mandara erguer, e ficaram em pé diante dela". (Daniel 3. 3).

          Depois de feita a grande imagem de ouro, o rei mandou chamar a sua extensa folha de pagamento. Os mais sábios, mais capazes, mais inteligentes. Os cheios de sagacidade, inteligência, persistência. Tantas qualidades reunidas serviriam para testemunhar a grandeza de um rei, de um reino, de um legado. Todos deveriam se curvar a um verdadeiro marco da História da Humanidade (v. 6). Mas a felicidade que Nabucodonosor sentia foi ameaçada pela raiva de saber que três homens manchavam o legado que ele pretendia plantar na Eternidade (v. 13).
Finalmente, parecia que nem todos os seus servos eram capazes e inteligentes (v. 18). Era preciso extirpar essa falha, esse erro de seu reinado. Fazer tal coisa virar fumaça; literalmente. Essa passagem esconde uma "chave apocalíptica muito importante". É ela que nos aponta o papel que a ciência terá no fim dos dias. Uma ciência que se multiplica rapidamente a cada dia. Sabemos em todo o tempo, qual o papel da fé. Que é fortalecer, edificar, reunir os homens, engrandecer a Deus! Esses três homens nos ensinam a melhor definição de crença. Crença não é a certeza de livramento, de riquezas, de saúde perfeita, de prosperidade sem fim. Crença é a inabalável confiança no Reino que não terá fim.
Nos dias que precederão o fim dos tempos, Deus reunirá os mais poderosos, capazes, grandes e sábios homens. A sabedoria deles será a testemunha do Cordeiro. A ciência só encontra felicidade na busca das melhorias necessárias ao seres humanos. Ela nunca foi feliz em explicar o espiritual. Quando Hananias, Misael e Azarias saíram da fornalha super aquecida, os mais poderosos, capazes, sábios e inteligentes homens foram ao seu encontro. Tudo o que eles representavam não deixava dúvida de que aquilo era algo espiritualmente extraordinário. No fim dos dias, os homens cheios de ciência, diplomas e doutorados, darão testemunho das grandezas de Deus. Grandes acontecimentos voltarão a reuni-los mais uma vez, e todo o acúmulo de sua ciência estará mais uma vez a serviço do SENHOR. Não essa ciência imatura que hoje vemos, mas, uma ciência adulta, que sabe seu papel no Reino de Deus e dos homens (I Co 13. 11). Multiplicar, aumentar, crescer. Não importa o verbo usado. Tudo aponta para um amadurecimento da ciência, que chegará aos últimos dias, pronta para cumprir seu verdadeiro papel junto aos homens (Fl 3. 21a). Moisés bem disse que as coisas reveladas são para os homens e seus filhos. E que as ocultas, pertencem somente a Deus. E a ciência madura, é o fio de prata que divide essas tão importantes coisas.

 Ney Gomes.
             "Se trabalhamos e lutamos é porque temos colocado a nossa esperança no Deus vivo." 1 Timóteo 4.10






Postagens mais visitadas