Igreja - O Colar do Fracasso.


 

O COLAR DO FRACASSO.

(Sobre gente mentirosa)

 

“Longe disso, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo. Dele todo corpo, ajustado e unido pelo auxílio de todas as juntas, cresce e edifica-se a si mesmo em amor, na medida em que cada parte realiza a sua função”. (Ef 4. 15, 16 – KJA)



Em alguns momentos da humanidade a virtude foi descrita como uma joia que embeleza a alma. Descrições dessa natureza são comuns faz tempo (Pv 11. 22/22. 1). É comum atribuir às qualidades do ouro e da prata a verdade, a justiça, a retidão e a solidariedade. Gosto de falar sobre a verdade, mas não posso esquecer-me do compromisso que tenho em denunciar a mentira e suas figuras. Então, vi esses dias no facebook às fotos de uma pessoa e lembrei que já havia passado do tempo de eu fazer isso.
Um dos problemas mais sérios causados pela mentira, é que em frequentes casos ela nos rouba a “capacidade” de manter a esperança na verdade. Somente corações bem treinados e discipulados não atribuem a mentira de um ao coletivo. Veja Pedro diante dessa situação: “Cerca de três horas mais tarde entrou sua esposa, sem saber o que havia se passado. E Pedro a questionou: “Dize-me, vendestes por este preço aquelas terras? Ela confirmou: “Sim, por este preço!”. Pedro acreditava que Safira talvez pudesse estar longe daquilo, mesmo sabendo que era grave o pecado de Ananias. A gravidade demonstrava que aquilo não poderia ser feito sozinho (At 5. 7, 8). Gente que mente com qualidade sempre tem o apoio de outras pessoas para suas mentiras; quer seja com silêncio, omissão ou atitude semelhante. No entanto, Pedro manteve a fé até o fim; acreditando que Safira podia ser diferente. Mentiras vez ou outra são feiuras ditas com gentileza. Passam-se por verdades por que só machucam a alma depois. E se a gente para de sentir dor é por que a mentira já envenenou e conquistou nosso coração. 

É fácil reconhecer a mentira em seu processo de domínio. Primeiro: Tudo deixa de ser verdade. Segundo: Tudo se torna em nada. E depois é que vira mentira! A pessoa só vive uma mentira, quando não deseja reparar a verdade que os dias fazem danificar (Ef 4. 25/6. 14). Religiosidade também é isso; gente mentirosa peregrinando em lugares cheios de verdade em busca de um sentido que perdeu. Colecionando relíquias de razão para dar brilho a uma fé que já não faz efeito. Sempre tentando engessar os novos membros que a verdade faz crescer (Ef 4. 15, 16 – KJA). 

A mentira gera um grande perigo em sua associação. Ela se aperfeiçoa em algumas pessoas e encontra sua forma dominante. Bons mentirosos nos fazem acreditar em suas mentiras, mas cuidado! Os melhores mentirosos nos fazem mentir também! A mentira faz uma igreja perder a sua massa intelectual. Foi assim com Eva e foi assim com Ananias. Ambos se tornaram em mentirosos de elite, convencendo seus pares a mentir de igual modo, com suas próprias mentiras. “Então, indagou-lhe Pedro: “Ananias, por que permitistes que Satanás encheste o teu coração, induzindo-te a mentir ao Espírito Santo para que ficasses com parte do valor do terreno?” (At 5. 3). 

            Você pode acreditar que um colar de pérolas fica lindo num focinho de porco, mas vai ter que mentir com qualidade se quiser que outros confessem isso junto com você. Nada impossível para uma mentira que encontra corações vazios!

 

Ney Gomes – Primavera de 2012.
"Se trabalhamos e lutamos é porque temos colocado a nossa esperança no Deus vivo." 1 Timóteo 4.10

Postagens mais visitadas