Poesia - Minha Tristeza Já Morreu!

MINHA TRISTEZA JÁ MORREU.

Quando acordou o pescoço doía
No balanço do ônibus Carlos despertou
Olhou para lado e ainda parecia estar sonhando
Era Ritinha. Moça bonita de sorriso cativante
Carlos se ajeitou, queria lhe dizer algumas palavras

Rita olhou para o lado, não desdenhou; sorriu
Carlos falava demais, estava nervoso, e perguntou
— Como faço para te ver novamente?
Pois Ritinha já chegará em seu ponto de descida
— Eu trabalho logo ali, no ponto final! Respondeu.

Carlos sorriu e descansou seu coração
Nada enigmático; o fim da linha não era longe!
Mas, por semanas passou a ir lá e nada!
Dia após dia, pergunta após perguntas
Ali, na parada final do ônibus, Ritinha era desconhecida

Mas Carlos não desistia e continuava
Sempre pensando no sorriso da bela moça
Um dia, voltando por outra rua, avistou algo:
“Funerária Ponto Final”, seu descanso em Cascadura!
E Carlos nunca mais ficou triste!


Ney Gomes - 13/03/14. (Temporário)


Postagens mais visitadas