Escatologia - Tatuagens e a Guerra das Palavras (Ap 12. 15).


TATUAGENS E A GUERRA DAS PALAVRAS (ESCATOLOGIA).

“Então a serpente fez jorrar da sua boca água como um rio, para alcançar a mulher e arrastá-la com a correnteza”. (Ap 12. 15 – NVI).

Via de regra, o que sai da boca são palavras. Palavras abençoam; preenchem; esvaziam de significado; poluem; embelezam; comunicam. São tão importantes que carregam a própria encarnação de Deus. O Verbo se fez carne. João diz: Tocamos na Palavra da Vida (I Jo 1. 1). Ora, é João que também nos informa que nos últimos dias uma guerra será travada tendo como arma principal as palavras (Ap 12. 15). E é nesse cenário tenebroso que Ele assume a forma mais poderosa de expressão. Ele é o Verbo vivo; a Palavra Viva que desceu do céu!
Existe uma luta sendo travada pela alma da humanidade, as palavras são a munição dessa guerra (Ap 13. 16, 17). Não importa se disparadas da mão, da testa ou de qualquer outro lugar. O que importa [para a serpente] é se armar e mandar o recado! O diabo não tem uma mensagem, mensagem tem quem tem propósito (Ap 3. 12). O diabo tem lixo, poluição. Ora, coisas sem sentido; sem significado; sem importância são na verdade, outro nome para lixo. O que o diabo quer de todas as maneiras é ver uma humanidade inundada pela poluição, e nesse projeto antigo, podemos citar as “TATUAGENS” como a primeira forma de divulgação e comunicação de massa. Hoje, ultrapassada, mais ainda eficiente na missão de poluir, fazer se tornar lixo! [Mat 15. 19]
Mas, por que usar palavras como lixo? Ora, o diabo sabe que entre os olhos e o coração não há intestino. Os olhos são as janelas da alma! O que passam por eles, sem discernimento, vai direto para o coração. E que enche o coração é o que sai pela boca [Mt 15. 18]. O diabo tem como útil toda e qualquer forma de poluição visual. E as “tatuagens” ainda lhe parecem ser bastante proveitosas. Chamada agora nesses dias de 2a pele por alguns. Avenidas, ruas, paredes, calçadas, muros, postes, pele. Parece não haver mais margens que suportem esse “rio que sai da boca da serpente”. O diabo despeja a sujeira de suas águas [palavras] em todo lugar, com um único objetivo: Sujar o homem. É preciso sempre lembrar que uma coisa que está cheia de nada, não pode ser cheia de significado. Na luta pelo controle de mentes e corações, palavras tem poder. Basta lembrar que Hitler era um grande orador e escritor. 


Via de regra, o que sai da boca são palavras. Em Apocalipse encontramos duas figuras ligadas a essa verdade: RIO E ESPADA [1. 16; 12. 15; 19. 15]. Rio nos passa a ideia de continuidade, de abrangência. João, dono de um olhar único sobre isso, nos diz em seu Evangelho que Jesus é a fonte de uma vida que acontece sem cessar [Jo 4. 14; 7. 38]. A crença transforma as palavras num poder que nos acompanha por toda a vida. Isaías diz que a Palavra de Deus é como a chuva [rio vertical] que trás vida (Is 55. 10). É preciso também citar metáfora semelhante usada pelo profeta Oséias (10. 12). Faltar-nos-iam aqui tempo adequado para fazer menção de outras Escrituras (Ap 22. 1/Jó 28. 10/I Co 10. 4/Ex 17. 6/Nm 20. 8). O profeta Isaías descreve a experiência de ter a sua fonte ‘purificada’ por Deus (6. 7).
Habacuque recebe de Deus a missão de escrever a visão de maneira bem legível, de modo que até aos que passassem apressados por ali, conseguiriam ver (2. 2). É preciso lembrar que o desejo de Deus é escrever dentro e não sobre o homem (Jr 31. 33). O rio de Deus deseja fluir para dentro de nós; num primeiro movimento, caudaloso e vivificante. Internalizando antes de tudo a vida de Deus em nós. E nessa ideia de rio, nos fica claro que o diabo não pretende restringir sua obra a um tempo pequeno, mas, enquanto lhe for concedido. Espada nos passa a ideia de poder; localidade. Em momentos demarcados Jesus vem e luta com a espada que sai de sua boca e vence!
A beleza de uma morada está em ser “abrigo; conforto; sossego”. E não nas cores e rabiscos de suas paredes. Diz certa regra social que não é de bom gosto as madrinhas de um casamento chamarem mais a atenção do que a noiva; nem o servo ser mais que seu senhor. Ora, se os rabiscos nas paredes de uma casa falam mais que seu conforto interior, algo está errado. A serpente [o diabo] tem feito seu rio jorrar em todo lugar, e hoje, com a tecnologia dando passos largos de minuto a minuto, suas águas vão cada vez mais longe e atingem cada vez mais inocentes (disque 100). Ele ama ver suas águas sujas [letras&desenhos] se derramarem sobre a pele da humanidade, dessa forma, manchando; maculando o que Deus fez perfeito [I Ts 5. 23].
Lembre-se: Lugares onde há coisas escrita nas paredes, chamamos de COMÉRCIO. “Banheiro; Somente Pessoas Autorizadas; Caixa; Puxe; Empurre; Aberto; Fechado; Volto Logo e Você Está Sendo Filmado!”
Se você “veio” para Jesus, já possuindo uma tatuagem, descanse seu coração. Deus perdoa o tempo do ‘desconhecimento’. Mas, se você conhece a Bíblia e ainda sim fez e continua fazendo tatuagens... Você pode orar comigo agora: “JESUS EU RECONHEÇO QUE MORRESTE E RESSUSCITASTE POR MIM NA CRUZ DO CALVÁRIO, TE RECEBO NO MEU CORAÇÃO COMO ÚNICO SENHOR E SALVADOR, PERDOA OS MEUS PECADOS E ESCREVE MEU NOME NO LIVRO DA VIDA. AMÉM!”

Pronto. Agora suas tatuagens não tem mais importância. Você aceitou Jesus!



Não seja leito para esse rio do inferno, que ainda busca lugar para correr!
Ney Gomes. 17/04/14.
"Se trabalhamos e lutamos é porque temos colocado a nossa esperança no Deus vivo." 1 Timóteo 4.10
http://portalebd.org.br/atualidades/reflexoes/item/3106-tatuagens-e-a-guerra-das-palavras-escatologia.html


 


Postagens mais visitadas