Devocional - Celebrando a Dedicação!





CELEBRANDO A DEDICAÇÃO!

“Ou ainda, qual é a mulher que, possuindo dez dracmas e, perdendo uma delas, não acende uma candeia, varre a casa e a procura diligentemente até encontrá-la?  E, tendo-a achado, reúne suas amigas e vizinhas e proclama: ‘Alegrai-vos comigo, porque agora achei minha dracma perdida’. (Lc 15. 8, 9 – KJA)

As pessoas chegam devagar e de vários lugares; vão se sentando e se ambientando sob uma música tímida que começa a tocar. Aos poucos, olhares vão se cruzando e se reconhecendo. Daí começa a se formar grupos, diálogos, sorrisos. Não demora muito e uma alegria contagiante se mistura a música, deixando todos com uma maravilhosa sensação de bem vindos! Num dos cantos da sala, a anfitriã apresenta o motivo da festa: Uma moeda, uma pequena moeda!

Somos uma sociedade programada para amar resultados e conquistas. Num mistura estranha de Doutrina Romana e Sun Tzu! O importante é vencer e sob esse pensamento não há espaços para celebrar “esforços”. Todavia, o Evangelho celebra o esforço tão quão o resultado. E em algumas vezes, mais o esforço que o resultado!

Estão todos celebrando não por conta da moeda, mas, da atitude corajosa em se dedicar a busca de um pequeno valor! O motivo de tanta alegria é a diligência, o esforço, a dedicação e a entrega à missão. O motivo da festa não é o resultado, mas a obediência ao processo. São Paulo, em uma das falas que marcou a minha vida cristã diz: “Pois é justamente para isso que trabalhamos e lutamos, porquanto temos depositado nossa esperança no Deus vivo”. (I Tm 4. 10 – KJA)

Encontramo-nos hoje intoxicados pelo desejo de resultados e grandiosidade. Que para o bem da verdade, nem sempre são sinônimos de sucesso (Lc 12. 16- 20). Enquanto isso, o Evangelho celebra com louvor os esforços e a dedicação verdadeira, não importando os lucros (Mc 12. 41- 44).

Durante a minha curta vida cristã, conheci ministros vitoriosos e outros com mania de serem vencedores. Os vitoriosos nem sempre venceram suas batalhas, mas conservaram os amigos, alianças e a #lealdade de corações. Os que tinham mania de vencer, nunca perderam! Hoje, estão sem amigos antigos [sic], não moram no coração de ninguém, são tolerados por onde passam e onde estão. Seus subordinados têm um olho no altar e outro no relógio e calendário! São vitoriosos com o rei Pirro!

Abrindo a série de mensagens às igrejas da Ásia, temos Eféso. Uma comunidade que recebeu grande elogio do SENHOR por seu trabalho árduo, dedicação e perseverança (Ap 2. 2). Nada nos é informado sobre elogios por resultados. É uma simples meritocracia! Sobre isso, Paulo volta a dizer: “Nenhum atleta é coroado como vencedor, se não competir de acordo com o regulamento” (II Tm 2. 5 - KJA). Jesus em sua parábola está nos alertando ao que importa. De que não vale vencer a todo e qualquer custo, vendendo a alma para se obter resultados “animadores”. Não é uma questão de exaltar a mediocridade e a preguiça. Mas, de reconhecer o que Deus valoriza.

Como é “abençoado com felicidade” o homem e a mulher que possuí amigos assim. Pessoas com quem se pode celebrar o verdadeiro Evangelho do Reino! Os amigos da “busca” e não os do “acréscimo” (Mt 6. 33). Quem em 2015 você faça amizade com quem se alegra pelo seu esforço e não por seus resultados. Alguém que se alegre com suas conquistas, seja qual for o tamanho delas. Alguém que saiba que as pessoas são mais importantes que coisas e resultados!

Ney Gomes – Dezembro de 2014.
"Se trabalhamos e lutamos é porque temos colocado a nossa esperança no Deus vivo." 1 Timóteo 4.10


Postagens mais visitadas