Devocional - O Legado e a Visão.

Diamante Azul




O LEGADO E A VISÃO.

“Naquela ocasião Jesus veio de Nazaré da Galileia e foi batizado por João no Jordão”.
(Marcos 1. 9 – NVI)

Jesus e João vieram no mesmo propósito, inaugurado, no entanto, por João Batista. E nem por isso, menos importante, menos legítimo (Mc 1. 3). A mensagem era de Deus, isso fazia ela ser importante nas palavras de qualquer um. O “legado” foi entregue a João, que anunciou no deserto a vinda do Reino e a necessidade de se arrepender (Mc 1. 4).

Então, quando Jesus começa seu ministério, ele vai até João. Ele vai buscar; aceitar; receber; se submeter ao que foi da parte de Deus confiado àquele profeta. Ele entendia que sua anunciação era a mesma, e que por isso, era necessário ir ao Jordão, em busca da “voz que clamava no deserto”. De outra maneira, entendia ele, que estaria acendendo um fogo estranho, já que João recebera a chama da mensagem do arrependimento.

Onde o “legado” não é aceito, a “visão” não prevalece. O que determina o crescimento e expansão de uma igreja e a aceitação do “legado”. Quando se aceita o “legado” [aquilo que Deus confia aos homens] a visão encontra a saúde para se estabelecer e prosperar. Se um homem morre antes de transmitir o legado, a visão morre com ele. Os Apóstolos levaram adiante o “legado” de Cristo.

Por que em tão pouco tempo a igreja Universal do Reino de Deus cresceu tanto? Ora, o Bispo Macedo conseguiu que sua liderança recebesse o “legado” que lhe foi confiado. Agora, mesmo que morra a igreja continua sem ele. João Batista morreu, mas Jesus continuou pregando a mensagem do arrependimento (Lc 5. 31). Paulo identificou o “legado” como “bom depósito” (II Tm 1. 14). E a respeito do legado ele diz para Timóteo: “E o que de mim, entre muitas testemunhas, ouviste, confia-o a homens fiéis, que sejam idôneos para também ensinarem os outros”. (II Tm 2. 2 – ACF)

Se um povo não aceita o legado, eles não podem fazer prevalecer à visão e nem tão pouco se apoderar de seus benefícios (At 2. 38). Uma visão prospera quando a liderança faz seus liderados receberem o legado, que ele recebeu ou que nele foi gerado por Deus. Mas é bom lembrar que um legado só deve ser aceito quando bem acomodado numa embalagem de santidade. Que nunca deve estar corrompida e vencida em sua validade diante de Deus e dos homens (I Pe 1. 16).

Não existe santidade no pretérito! (Js 3. 5)

Ney Gomes 10/02/15.
#euamooqueMefoiconfiado!
"Se trabalhamos e lutamos é porque temos colocado a nossa esperança no Deus vivo." 1 Timóteo 4.10


Postagens mais visitadas