Poesia - Realengo.



Igreja NS de Fátima, Jardim Novo, Realengo.






REALENGO. NO LADO DA FELICIDADE!

Me lembro de quando criança em Realengo
Das ruas limpas e sempre calmas
Das histórias e lendas de que ali havia “sacis”
Das árvores ao lado da igreja D’Fátima
Nosso melhor lugar nas tardes de verão!
Do futebol sempre maneiro na esquina da rua
De brincar de aparador no valão do bairro
[A gente levava os girinos pra casa,
Mas eles sempre morriam no dia seguinte]
Da multidão de pardais em todo lugar,
De vê-los senhor dos fios de energia
De como parecia gigante o muro das escolas
A Dalva, A Ramiz, a Tasso, onde nasce o enamorar
Do Magal, vendendo biscoitos de polvilho
Atrás do morro de Cosme e Damião
Não parecia mais haver cidade do Rio!

A minha Realengo não era feio como outros lugares!
Não lembro de mortes, dores, rancores!
Lembro apenas da luz, da alegria, dos amores
Realengo sempre estará no melhor de mim!


Ney Gomes. 22/03/2016
"Teólogos escrevem sobre Deus. Mas quanto aos poetas, só Deus sabe!"


Postagens mais visitadas