Devocional - Igreja Perseguida (e Alcançada).




IGREJA PERSEGUIDA (E ALCANÇADA).

“E, acordando o carcereiro, e vendo abertas as portas da prisão, tirou a espada, e quis matar-se, cuidando que os presos já tinham fugido”. (At 16:27 – ACF)

Na quinta passada, em virtude do casamento da minha irmã, levei meu filho para cortar o cabelo. O barbeiro reclamava de fortes dores em um dos pulsos. Algo subiu ao meu coração, porém nada fiz; nada falei. Desde então, fui perseguido por minhas mais profundas crenças (e que se diga, pentecostais). Lembrei que uma igreja perseguida não vale de nada! É certo que muito se diz sobre isso, sem que, contudo, haja uma compreensão correta. Depois de 4 dias fui finalmente alcançado por elas. Voltei no Barbeiro e pedi para “orar por seu pulso, pelo fim de sua tendinite”.

Não precisamos ser perseguidos pelas verdades das crenças que confessamos. Precisamos na verdade, é nos deixar alcançar por elas, por elas sermos constrangidos (Rm 5. 5). Somos perseguidos por nossas crenças, não para a destruição nossa, mas para a destruição da incredulidade que insiste em residir em nós (Sl 18. 37). Uma vez alcançados e encontrados pela verdade de Cristo, nos tornamos corajosos como leões (Pv 28. 1). A Palavra de Deus só promove mudanças profundas, quando na boca daqueles que foram encontrados e encarcerados por Seu amor (Ef 6. 6- 9). Pentecostes significa “dor, peso e prisão”. E quem ignora essa verdade, ainda está em fuga!

Há uma “Casa Grande” reservada para aqueles que resistem ao desejo de fugir de suas “Senzalas”. Existe nesse mundo, muitos escravos fugidos de Seu Senhor (II Co 4. 5/Gl 6. 12).

Paulo foi alcançado, corrigido e disciplinado por Seu Senhor. Encontrado por seu verdadeiro DONO, trabalhava ele forçosamente para seus próprios desejos e pensamentos (Ef  2. 3). Resgatado por seu verdadeiro SENHOR, jamais se esqueceu daquele momento: “... Mas prossigo para alcançar aquilo para o que fui também preso por Cristo Jesus” (Fl 3. 12). Paulo foi encontrado por Jesus e severamente açoitado por Seu amor, de modo que, toda a verdade do Evangelho provocou profundas marcas em todo o seu ser: “Porque o amor de Cristo nos constrange, julgando nós assim: que, se um morreu por todos, logo todos morreram” (II Co 5. 14). Em todas as suas cartas, nunca deixava de dizer que era escravo e tinha dono. Nunca escondia sua condição de pertencer a Outro (Rm 1. 14).

Diante da tolice dos que pensavam em fugir e viver para si mesmos [se bem que é impossível, pois todo escravo terá alguém por senhor], Paulo advertia acenando para si mesmo sobre as consequências de uma tentativa: “... Porque trago no meu corpo as marcas do Senhor Jesus” (Gl 6. 17). Dias vem em que a igreja será perseguida por outros escravos que se acham senhores (4 poderes do anticristo. Poder militar, político, econômico e religioso).

A Promessa de morar na “Casa Grande” se aproxima e as estreitas portas da “Senzala” se abrem, para tentar os corações daqueles que ainda não descobriram se são na verdade, escravos perseguidos, alcançados e encontrados (Mt 24. 12, 13/At 16. 28). Muitos são os perseguidos, mas poucos os alcançados! E você? Ainda está fugindo também??


Ney Gomes. 11 de Abril de 2016
"Se trabalhamos e lutamos é porque temos colocado a nossa esperança no Deus vivo." 1 Timóteo 4.10



Nos Ajude Nesse Projeto!




Postagens mais visitadas