Amor e Previsibilidade (Nossos votos de ano novo, 2017).



AMOR E PREVISIBILIDADE.
(Nossos votos de ano novo, 2017).

“Levantar-me-ei, tomarei o caminho de volta para meu pai”. (Luc 15. 18 – KJA)

É no previsível que o amor se cura, se remenda e se restaura para sempre continuar sendo amor. Foi o poeta luso-brasileiro Tomás Antônio Gonzaga, que encarnando o apaixonado ‘Dirceu de Marília’ cantou: Eu sou, gentil Marília, eu sou cativo. (Parte 1 - Lira IX)

O amor para se aproximar pede certa condição de ‘previsibilidade’. Tal condição é vista no pai, e que faz o filho pródigo caminhar de volta. É vista no galho firme, que o vento mal faz balançar. E que por isso, é desejo constante dos pequenos pardais. É sombra refrescante nos dias em que o sol, de tão intenso, faz a todos esmorecer. Foi o Apóstolo Paulo que nos disse, que nós não sabemos o que fazem os meninos. Mas, que os homens, devem sempre ser previsíveis: Quando eu era criança, pensava como menino, sentia e falava como menino. Quando cheguei à idade adulta deixei para trás as atitudes próprias das crianças”. (I Co 13. 11 – KJA).

Ser previsível é condição essencial para o amor acontecer e promover felicidades. Na música “EU SEI”, Renato Russo, cantor e poeta, fala de um amor que não está acontecendo por que falta previsibilidade. Na última linha ele canta: Somos pássaro novo longe do ninho... Eu sei, eu sei. O amor só acontece sobre a paz em que se pode repousar. E é por conta disso que se diz que no mundo há tanta gente que se ama e não está junto e tanta que está junto e não se ama. E ser previsível é o que o amor pede para prosseguir acontecendo (Lc 9. 51), ainda que em severas condições ambientais: Pois, chegará o momento, e realmente, a hora é esta, quando sereis espalhados cada um para sua família. Vós me deixareis sozinho. Mas Eu não estou desamparado, pois meu Pai está comigo”. (Jo 16. 33 – KJA)

Ao dizer: Eu Sou o bom pastor. Jesus convida nosso amor para acontecer nEle, com Ele e por Ele. ‘Bom’ ‘é uma condição previamente anunciada, um convite para a segurança de expressar o que se sente. A natureza de todas as coisas nos dá a certeza do que acontecerá. O gato mia, o cão late, o pássaro canta, as nuvens se derramam em chuvas e o vento arrasta os lençóis brancos, mal presos nos varais. E por que Deus nos fez tão previsíveis? Para poder nos amar em toda e qualquer circunstância, até o fim.

Existem outras felicidades que não dependem de se ser previsível, mas elas são tão poucas, que mal dá para saber o que esperar se juntarmos um punhado delas.


Ney e Elaine. Janeiro, 2017.
“Teólogos escrevem sobre Deus. Mas quanto aos poetas, só Deus sabe”.


Postagens mais visitadas