Devocional - O Jovem Rico, Interesse Verdaddeiro.

 
INTERESSE VERDADEIRO.

(Perguntar não ofende, responder muito menos).

 

Texto Para Meditação: Marcos 10. 17- 22

 

"Ao que ele replicou: "Como poderei compreender, a não ser que alguém me explique? E pediu a Filipe que subisse e se sentasse ao seu lado". (At 8. 31 – KJA).

 

            Os evangelhos nos mostram inúmeras pessoas que procuram Jesus para obter respostas as suas dúvidas (Mc 6. 46). Mas, o que pouco percebemos é que Jesus também tinha em seu ministério, muitas perguntas. Nesse caso em particular, elas são um símbolo de saúde espiritual. Demonstram o interesse verdadeiro de um líder no bem estar de seus liderados. A humanidade plena de Jesus me permite afirmar que Ele estava sempre pensando no que poderia fazer de melhor, para cumprir a sua missão. E isso, significa ter um ministério cheio de questionamentos, tal como: O que posso fazer por ele? Por sua família? Pelo seu modo de vida? Por seus sonhos? Por suas crenças? Por sua alma?

            Quando questionado pelos homens, Jesus lhes oferecia as respostas de seus próprios questionamentos íntimos. Pessoas sem questionamentos são pessoas sem interesse em crescer, em participar. São pessoas acomodadas, que se agarraram a uma oportunidade de se dar bem e nada mais. Tive um pastor, que em dois anos nunca foi na minha casa [frase sem erros]. Por que meu bem estar familiar nunca lhe foi um questionamento. Ele nunca pensou nisso. Alias, nesses mesmos dois anos, ele nunca conseguiu decorar o nome da minha filha, que se chama Hellen [um nome comum]. Jesus era motivado pelos seus questionamentos, disso, nasceu à sentença que marcaria seu ministério: "Vamos a outros lugares, às povoações vizinhas, a fim de que eu pregue também ali, pois para isso é que eu vim". (Mc 1. 38).

            Ora, o jovem rico tinha várias respostas, mas, ainda, seu coração abrigava muitas dúvidas. Por quê uma ave não voa? Essa simples pergunta levantará uma série de possíveis respostas. Mas, só em alguém interessado em fazer a ave voar. Assim Jesus olhou para aquele jovem. Uma ave majestosa, de plumagem exuberante, mas, que não voava! Quando ele se ajoelhou, Jesus soube de imediato que muitas de suas perguntas, já haviam sido respondidas por seus pais. Ainda sim, ele não levantava voo. Jesus pede então para ele repassar seu conhecimento básico. Grande parte de nossos problemas habita num discipulado mal feito. Nas operações básicas da aritmética viva. Nada de regressão, maldição hereditária, falta de confissão positiva e determinismo. Na afirmativa do jovem, Jesus encontra a verdade de um conhecimento que só o dinheiro, tão precocemente poderia lhe oferecer. Os filhos dos ricos falam inglês já no primeiro grau de estudos. Não por que são mais inteligentes, mas, por que são filhos de ricos.

            Um mestre espiritual é alguém que precisa ser gravemente "afetado pelo tempo" (Hb 5. 12). Sem experiência qualquer conhecimento é incapaz de nutrir, e se Jesus pudesse validar tudo o que ele sabia, quão maravilhoso apóstolo ele seria. Então o Mestre transforma o seu questionamento, na necessidade de "dar uma resposta": "Vai, vende tudo o que tens, dá-o aos pobres e terás um tesouro nos céus; então, vem e segue-me". Ele respondeu, todavia, não com palavras e sim com a atitude evasiva. Foi embora levando consigo a sua pertinente duvida. O problema de tal coisa, é que no mundo está cheio de falsos cristos, profetas, apóstolos e pastores. E de estar cansado "das coisas desse mundo", trocar a importância de uma pergunta pela mediocridade de uma resposta. Os homens estão sujeitos ao roubo intelectual; de serem lesados em sua capacidade de escolha (Gn 3. 1- 5). Por isso, é preciso colocar tudo em Jesus, onde a traça e a ferrugem não corroem, e onde os ladrões não roubam. Seja isso duvidas ou certezas.

 

Ney Gomes - 05/06/2011.
"Se trabalhamos e lutamos é porque temos colocado a nossa esperança no Deus vivo." 1 Timóteo 4.10

 

Postagens mais visitadas