Pedro. Apóstolo em Definitivo.


Rio São João, Tamoios/RJ


PEDRO. APÓSTOLO EM DEFINITIVO.

“Simão Pedro entrou no barco e arrastou a rede para a praia. Ela estava cheia: tinha cento e cinqüenta e três grandes peixes. Embora houvesse tantos peixes, a rede não se rompeu”. (Jo 21. 11 – NVI).



“Embora” é a palavra usada por João para definir o que é um apóstolo. Apóstolos são homens, que com mãos e corações fortes, sustentam a unidade da igreja. Certa vez ouvi um aprendiz de padre dizer que no mar da Galileia havia 153 tipos de peixes, e que isso simbolizava a humanidade como um todo. Se é verdade ou não, não sei! Mas, sei que os peixes e a rede eram reais. Tão reais como o puxar cuidadoso que possibilitou o não romper de suas tramas. Ora, sabemos exatamente para o que aponta a palavra “grandes peixes”. É evidente que se trata de uma definição para líderes e poderosos. Pedro conseguia lidar com todos, trazendo-os para junto de si, sem provocar divisões, facções e partidarismos.
Pedro tinha as mãos fortes, e elas eram capazes de segurar a comunhão. Seu coração era igualmente forte para produzir unidade e aceitação. E esse poder agregador, podemos com tranquilidade chamar de “unção apostólica”. A “unção” do fundamento, que habita em todos aqueles que verdadeiramente amam a igreja de “Cristo”. Embora, sejamos tão diferentes em pensamentos, somos um, quando liderados por um verdadeiro apóstolo de Deus. À medida que ele fala, as milhares de vozes em contrário se calam. E o silêncio da unidade invade com poder mentes e corações tão fragmentados outrora. Fazendo de tanta diferença, uma coisa só; diante de Deus e dos homens. Pedro é incrível! Por sua capacidade de suportar tanta diferença, no braço e no coração. Devemos lembrar que são seus e de Tiago, os esforços para fazer os cristãos judeus entenderem que eram uma só igreja com os gentios. Se eu não pudesse ser assim, teria vergonha de me proclamar apóstolo de qualquer coisa.
Embora humilde de origem, se esforçou para falar aos eruditos (At 4. 13). Embora vacilante diante de Cristo, demonstrou segurança diante da prisão por Herodes e da igreja que orava (At 12. 7). Embora conhecedor de tudo o que era tradicional, se abria para uma nova direção do Espírito. Embora uma vez tivesse medo por sua vida, viveu até o fim sem medo de morrer (II Pe 1. 14). E embora por muitas vezes se mostrasse um homem fraco e vacilante, era sem duvida, por isso, o mais forte de todos (Jo 21. 17). O Pedro incrivelmente humano, sabedor de quão é importante o afeto e a crença em outrem. O Pedro que tornamos numa instituição é o Pedro sem CNPJ, sem ATA, sem C/C. Que fez de sua maior riqueza a riqueza de ver todos juntos, num só coração.
Quando isso for verdade em todos os corações, o ministério apostólico verdadeiro surgirá. E eu serei um dos primeiros a reconhecê-los.

Isso é uma promessa!! 

Ney Gomes. (Twitter@neygms)
           

Postagens mais visitadas