Poesia - BJS, 1994. Lembranças e Conclusões.


BARRA DE SÃO JOÃO, 1994.
Lembranças e Conclusões.


Acredito ser divinal que depois de tanto tempo, soterrada sob outras tantas memórias, eu ainda consiga lembrar bem, do cheiro do protetor solar que acompanhava tão bem a silhueta de seu corpo. Engraçado que eu ainda consiga lembrar de seu corpo! Quando o sol abre, e as gentes saem a praia; posso sentir de longe o cheiro do protetor solar que você usava para trabalhar na feira. E isso, sempre me faz lembrar você! Vez ou outra ia à praia, para puramente olhar o mar; as ondas formando leves camadas de espuma, que tocavam a areia como um convite irresistível para ir até o seu encontro. Então, o vento com ciúmes de meu romance com o mar trazia de maldade o cheiro que estragava tudo. E ainda é assim!
E nos dias de verão intenso; praia lotada, ruas cheias e casas sempre abertas; é como se você fosse onipresente. Aí eu pensei: É desse jeito que Deus consegue estar em todo lugar, em todo tempo. Usando bastante protetor solar.

Ney Gomes.
"Teólogos escrevem sobre Deus. Mas quanto aos poetas, só Deus sabe!"

Postagens mais visitadas