Divagações - A Origem da Saudade.


DIVAGAÇÕES.

A ORIGEM DA SAUDADE.

Não tenho dúvidas de que Adão e Eva compartilhavam de uma só alma. Não importava se estavam juntos ou distantes, eles eram felizes de uma vez só. Talvez seja certo dizer que a expressão "uma só carne", tenha haver com "uma só alma". Então, do nada, apareceu a serpente com o papo bobo de que Eva poderia fazer Adão mais feliz, e ela, acreditou. 

            A saudade é fruto da maldição do Éden. É não conseguir mais ser feliz estando distante. Saudade é quando se divide a felicidade de duas ou mais pessoas. É a dor de não ser mais em todo tempo, uma coisa só. Saudade é aquilo que a morte faz real; é a ausência que esfria os sentimentos. Saudade é a dor que Deus sentiu em fazer da alma de Adão, pequenos pedaços para a humanidade. Saudade é ver a alma de Adão em todos os homens e em todos os homens, um Adão. 

            A saudade é a maior distância que duas almas podem suportar. Mais que isso, é lembrança ou loucura. A saudade também se tornou numa capacidade de sentir as coisas boas que a alma produz. Tempos de paz, de prosperidade, de justiça, de verdade, de solidariedade. Todas essas, características que produzem duas ou mais almas quando ligadas fortemente.  Elas também nos servem de modelo para a construção de dias futuros. 

            Um dia, cansado de tanta saudade, Deus enviou seu único filho ao mundo, para juntar todos os pedaços da alma de Adão, tão desfigurada pelo pecado e pelos tempos.  E fazer de todos os pedaços recolhidos, um novo homem, segundo a Sua própria imagem. Jesus orou por um mundo sem saudades, sem lembranças, sem loucuras. Ele deu Sua própria vida, para cancelar a mentira em que Eva acreditou. Que se é possível fazer alguém feliz, sem sentir primeiro essa tal felicidade [Jo 17. 20- 26].


Ney Gomes.
"Teólogos escrevem sobre Deus. Mas quanto aos poetas, só Deus sabe!"

Postagens mais visitadas