Devocional - Metanóia. [Por Ivan Cunha]









METANÓIA

“Sou judeu, nascido em Tarso da Cilícia, mas criado nesta cidade. Fui Instruído rigorosamente por Gamaliel na lei de nossos antepassados, sendo tão zeloso por Deus quanto qualquer um de vocês. Persegui os seguidores deste Caminho até a morte, prendendo tanto homens como mulheres e lançando-os na prisão, como o podem testemunhar o sumo sacerdote e todo o conselho, de quem cheguei a obter cartas para seus irmãos em Damasco e fui até lá, a fim de trazer essas pessoas a Jerusalém como prisioneiras, para serem punidas. “Por volta do meio-dia, eu me aproximava de Damasco, quando de repente uma forte luz vinda do céu brilhou ao meu redor. Caí por terra e ouvi uma voz que me dizia: ‘Saulo, Saulo! Por que você está me perseguindo?’ Então perguntei: Quem és tu, Senhor? E ele me respondeu: ‘Eu sou Jesus, o Nazareno, a quem você persegue’.”
Atos 22:3-8 NVI

A palavra metanóia, vem do grego, e significa transformação fundamental do pensamento, segundo o dicionário também pode significar conversão espiritual ou mudança de mente (Rm 12. 1, 2).

A pergunta que devemos fazer em seguida é; o que faria uma pessoa mudar de direção, ou convergir para outro caminho? Que é um dos significados da palavra metanóia segundo o dicionário. Precisamos entender de forma definitiva, que alguém que está indo por um caminho, está indo porque tem certeza de estar certo, por que tem certeza de vai chegar aonde quer, e o fato de você saber que ele está errado, não tira a certeza dele. O que pra você é uma verdade hoje, para ele ainda não é, e não há nada que você ou eu, humanamente falando, possamos fazer (At. 22. 3-5).

O grande desafio dos cristãos desse século; é justamente a desconstrução de algo que foi construído de forma equivocada por nossos irmãos no passado, e essa missão é árdua e trabalhosa, porque não é fácil desconstruir uma mentira mascarada de verdade construída há séculos (At. 22-15-15). Como dizer para uma pessoa que uma imagem não faz milagres, quando essa pessoa nasceu, cresceu e conviveu, com seus pais, avós, tios e amigos, adorando essa imagem e dizendo justamente o contrário? Você não consegue convencê-la; somente Deus consegue, e precisa ser algo sobrenatural, para que todas as convicções caiam por terra (Dt 5. 8/ Is 48. 5).

Temos muitos irmãos que acreditam no mesmo Deus que nós, o único Deus, mas que estão perdidos em idolatrias e ensinamentos torpes que não os permitem enxergar verdadeiramente Jesus como único salvador (At. 9. 18). Vejam o que aconteceu com Saulo, ele perseguia o povo que seguia Jesus, por entender que eles estavam errados e blasfemavam contra Deus. Ele estava convencido que lutava a favor de Deus, e nada faria com que ele mudasse sua mentalidade. Nem as palavras dos Apóstolos foram suficientes. Somente algo sobrenatural para arrancar as convicções equivocadas de um coração fiel, isso mesmo meus amigos Saulo tinha um coração fiel, apenas tinha suas convicções deturpadas pelos ensinamentos que recebeu, Saulo era crente, e defensor das leis de Deus, um estudioso da palavra, mais estava com o coração fechado para o novo (Fl 3. 4- 7).

Somente quando Saulo teve um encontro com Deus foi que as coisas mudaram para ele (At 9). Saulo ouviu a voz de Deus, Saulo sentiu a presença de Deus, Saulo teve uma experiência única com Deus, e por isso e só por isso ele mudou de direção e ajustou o seu caminho, passou de perseguidor à perseguido, deixou de ser cego e passou a enxergar, e a entender que só há um caminho para a salvação, e esse caminho passa pela cruz, esse caminho é Jesus (Gl 2. 20).

Que a partir de hoje, possamos juntos, olhar de uma forma mais amorosa para aqueles que não estão no mesmo caminho que nós, e orar para que em nome de Jesus, eles tenham uma experiência sobrenatural com Deus, pois Ele é o único que pode ainda hoje fazer uma metanóia nessa nação, o nosso papel é de discipuladores, e não de transformadores, quem transforma vidas ainda é e sempre será Jesus.

Que Deus abençoe a vida de cada um de vocês.



Rio de janeiro, Recreio dos Bandeirantes, 28 de Julho de 2015.
Ivan Cunha

Postagens mais visitadas