Votos de Natal - Um Convite Maravilhoso!




NATAL. UM CONVITE MARAVILHOSO!

“Então o levou fora, e disse: Olha agora para os céus, e conta as estrelas, se as podes contar. E disse-lhe: Assim será a tua descendência”. (Gn 15. 5 – ACF)

A hora mais apropriada para você ver as coisas que podem transformar a sua vida, é a hora que Deus escolhe. O mundo é um palco cheio de belezas ocultas, e o espetáculo verdadeiro é ser chamado por Deus para ver as coisas que podem nos convencer! (I Pe 2. 9)

Quando estamos diante de um convite de Deus, todas as coisas mostram a sua plenitude. O sol se torna mais brilhante, o céu fica mais azul e as estrelas cintilam ainda mais intensamente. Por meio da observância da simplicidade descobrimos o fogo que purifica as nossas razões (Mt 10. 31). E isso é uma coisa que só o Eterno D’us pode nos proporcionar.

Sob a autoridade de Deus qualquer coisa se torna apta a trazer significado para as nossas vidas (Jz 15. 15). Até mesmo o pó da terra, pode ser apresentado por Deus como um passaporte que nos dá acesso a uma vida cheia de felicidades (Gn 13. 16/Ex 8. 16). Quando Deus nos convida a observar algo, isso é obrigado a revelar toda a plenitude da sua beleza (Gn 15. 5/Lc 12. 6).

Quando Abraão olhou para o céu sob o convite de Deus, os seus olhos foram de igual modo iluminados, como as estrelas no momento de sua criação (Gn 1. 16d). É magnifico que todas as coisas da criação (e eu acabo de desvendar um código bíblico) contribuam para o bem daqueles que amam a Deus (Rm 8. 28). Toda a criação, sob a batuta de Deus, libera uma melodia que encanta a nossa alma e lhe enche de razões para crer.

É preciso que alma seja atingida com significado, para que então, ela começa a produzir sabedoria. Sabedoria é conseguir ver aquilo que está à nossa disposição para nos fazer felizes! Para esse propósito, Deus nos visitou inúmeras vezes com seus apontamentos. “E isto vos será por sinal: Achareis o menino envolto em panos, e deitado numa manjedoura” (Lc 2. 12). A vida daqueles pastores nunca mais foi a mesma! Por que o Pai havia lhes escolhido para o maior de todos os convites, para o maior de todos os apontamentos (Lc 2. 11). De igual maneira, Ele fez com os reis magos: “Onde está aquele que é nascido rei dos judeus? porque vimos a sua estrela no oriente, e viemos a adorá-lo” (Mt 2. 2).

Naqueles dias, quais dos seus discípulos poderia ignorar os lírios na beira da estrada? “Olhai para os lírios do campo, como eles crescem; não trabalham nem fiam; E eu vos digo que nem mesmo Salomão, em toda a sua glória, se vestiu como qualquer deles” (Mt 6. 28, 29). As estrelas não foram criadas por Deus para nos trazer significado de existência (exploração e corrida espacial). Mas sim de completude! Assim como os pardais, as estrelas foram criadas como alegres penduricalhos. Foram criadas para dar significado de beleza.

Se atendermos hoje, o convite para a humildade (Fl 2. 5), Deus pode usar qualquer coisa para encher a nossa vida de significado (At 9. 15). Esse significado, certamente vai nos levar para Cristo, em Quem está todos os tesouros da sabedoria e do conhecimento; riquezas incompreensíveis aos desabilitados sentimentos dos desavisados (Ef 3. 8/Cl 2. 3).

Que nesse NATAL chegue até você, o convite maravilhoso do Espírito Santo. Que Ele habilite seu coração a enxergar a felicidade que existe em todas as coisas. Porque pela graça sois felizes, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Não vem das estrelas, para que ninguém se glorie (Ef 2. 8 – parafraseado). O Natal é o mais importante apontamento de felicidade. Um convite para a verdadeira alegria; o Seu mais intenso gesto de boa vontade para conosco. Veja e aceite!

Esses são nossos votos de um Feliz Natal e de um intenso Ano Novo!
Elaine e Ney Gomes.

Postagens mais visitadas