Pneumatologia - A Presença do Oposto.






A PRESENÇA DO OPOSTO.

Se Ele tem o bem; destrói o mal. Se Ele tem a justiça; desfaz as amarras da injustiça. Se Ele tem a voz; faz quebrar o poder do silêncio. Se Ele tem o inteiro; derruba no chão as metades que Lhe são oferecidas. Se Ele tem a pedra; logo espalha a areia!

A bem da verdade, Deus nada faz, enquanto não aparecer o oposto. Foi assim com Noé. Foi a sua justiça que condenou o mundo. O poder era de Deus, mas Noé era o oposto presente, o oposto mais próximo, mais perto (Hb 11. 7). Ele só destrói o medo quando chega à coragem, como no caso de Davi e Golias (I Sm 17. 23). Ele somente salva os homens da realidade quando chega o “sonhador” (Gn 41. 15). Pois foi contra a violência do Egito, que até aos céus chegava (Ex 3. 7), que Deus levantou Moisés, o homem “mais manso da terra” (Nm 12. 3). E ainda nos seria necessário falar de Ló, Samuel e muitos outros, “dos quais o mundo não era digno”.

“Então José, cognominado pelos apóstolos, Barnabé (que, traduzido, é Filho da consolação), levita, natural de Chipre, possuindo uma herdade, vendeu-a, e trouxe o preço, e o depositou aos pés dos apóstolos”. (At 4. 36, 37 – ACF)

Logo nos primeiros dias da igreja, O Espírito Santo desejava mostrar que Seu corpo não seria uma continuidade do Judaísmo e do pensamento farisaico. Mas Ele só começou a destruir as metades quando chegou o “inteiro” de Barnabé (At 5. 1- 11). Deus sempre trabalha com o “oposto presente”, nunca deixando vácuos. Se Ele tem a Luz; dissipa a escuridão. Se Ele tem a Verdade, joga a mentira por terra. Se Ele tem a Videira; tira a tristeza da festa. Pessoas como Ananias e Safira somente podem sofrer o juízo quando alguém como Barnabé se levanta!  Deus só derruba homens do cavalo, quando tem pessoas dispostas a visitar a “rua chamada direita”. Uma cegueira só pode ser destruída por alguém que já enxerga! (Jo 9. 11/At 26. 18)

A verdade da “Presença do Oposto” era uma realidade na igreja dos primeiros irmãos (Hb 6. 12; 13. 7). Esse assunto é riquíssimo para Paulo, por toda a sua teologia (I Ts 1. 6, 7). Podemos perceber que por causa disso, ele nos pede para sermos seus imitadores (I Co 11. 1/Fl 3. 17/Ef 5. 1). Ora, sabemos que Cristo é o oposto desse mundo e de seus governos espirituais (I Jo 5. 20). De igual maneira também, sabemos que o Espírito Santo só trabalha sobre o Cristo, por meio de Cristo e em Cristo! (Ef 4. 6) Mas se Cristo, não está em nós, vivo, não há presença do oposto! (Gl 2. 20) Daí, seu constante apelo para sermos seus imitadores (I Co 4. 16/I Tm 4. 12), deixando a nossa vida na cruz, para que Cristo viva em nós! Desse modo, com “um Cristo vivo, próximo e perto, a pessoa do Espírito Santo poderá fazer a sua obra!”

O que é o Livro de Atos dos Apóstolos? Ora, é uma abundância de “Cristo vivo, próximo e perto”. Daí, podemos entender a citação massiva da Pessoa e Obra do Espírito Santo (At 21. 4). Mudando tudo através do “Oposto Presente”, que nada mais é, do que Cristo vivo nos corações! Todavia, estamos senão dentro, bem próximos da igreja de Laodiceia. Onde a obra do Espírito Santo não acontece, por que o Cristo vivo está fora dela (Ap 3. 20). Podemos e devemos ser amigos do Espírito Santo, mas, Ele não trabalha para nós e por nossas palavras, Ele trabalha para a glorificação do Cristo Jesus (Jo 16. 13- 15).

Por isso, quanto mais perto e mais próximo é o dia de Sua vinda, esse mundo começa a sentir as transformações! Já está chegando a hora da poderosa e definitiva mudança de todas as coisas! Cristo se aproxima para dar fim ao tempo em que o Espírito Santo precisa dos opostos desse mundo para fazer a Sua obra! (I Co 15. 10). Maranata! (I Co 16. 22)

Ney Gomes. Verão de 2016. – Twitter@neygms
(Da “mentoria” de Pr. Joel Cardoso)


Postagens mais visitadas