Sociedade - O Fim de Todas as Culturas de Estupro!






“... A cidade será tomada, e as casas serão saqueadas, e as mulheres forçadas... “         
(Zc 14. 2 – ACF)

Conflitos, tramas, corrupções, abandonos e estupros coletivos. De tempos em tempos somos avivados em nosso entendimento sobre a natureza caída do homem. Mas são as guerras que não deixam dúvidas sobre a malignidade existente no que herdamos de Adão. Cada dia mais insensíveis ao individual, ainda nos deixamos assustar pelo coletivo. Como no caso da “jovem estuprada por 33 homens”. A malignidade coletiva continua tendo o poder de nos fazer enxergar em nossa plenitude (Gn 37. 20, 21).

Mais em breve seremos derradeiramente alertados por duas violências que acontecerão em conjunto (Jl 3. 9- 17) A guerra que se mostrará um estupro contra Israel (Zc 14. 1- 4). Todas as nações em comum acordo com o anticristo e contra Israel. Um estupro em forma de guerra é o que nos alerta para a verdade de que a História humana não pode continuar sem uma forçosa intervenção de Cristo (Dn 9. 27). O grande Rei surge no momento mais feroz da guerra para que não haja suspeitas no que diz respeito ao potencial do mal que habita em nós, numa humanidade que não quer Deus, na pessoa de Seu filho Jesus.



O que é um estupro coletivo? O que será [quase] todas as nações contra Israel? Vilania não tem como melhor sinônimo a covardia? O que um estupro coletivo representa? Não é uma vilania? O mal acontece entre nós quase sem censuras coletivas (II Tm 2. 26). E as barbáries múltiplas da atualidade nos demonstram que irão para um patamar ainda mais grave. Essa gravidade tem como sua estabilidade o fato de não mais nos sensibilizarmos diante do comum acordo do mal (Ef 6. 12). Na política (Mt 2. 16), nas religiões (Jo 12. 10), na economia e na sociedade!

Não poderemos evitar o que vem por aí. Por que o que há de manifestar, nada mais é que a pura natureza humana decaída. Um mal, que bem ensaiado no individual, encontra cada vez mais rápido a sua real vocação em nosso coletivo (Mt 24. 12). A atual história da humanidade, assim como a de satanás termina em meio a uma guerra criada (Ap 20. 8).  E a guerra, abriga em seu seio, todas as demais violências, inclusive, estupros coletivos de homens, mulheres (crianças e idosos).

Não se deixem enganar, muitos outros estupros coletivos ainda vão acontecer (Mt 24. 19/Zc 14. 2). Mas quando Cristo voltar, aquele será o último!


Ney Gomes. 05/06/2016.
"Se trabalhamos e lutamos é porque temos colocado a nossa esperança no Deus vivo." 1 Timóteo 4.10


Postagens mais visitadas