Devocional - Salmo 46. As 3 faces da Fé – Parte Última.


Salmo 46. As 3 faces da Fé – Parte III.

As 3 faces da fé são: Seu confronto; sua veracidade e seu convite!

“Vinde, contemplai as obras do SENHOR; que desolações tem feito na terra!” (Sl 46. 8 – ACF).

A fé verdadeira é ‘convidativa’, instigante. Ela é o que há de melhor para se fugir da ansiedade e do desespero. Pessoas nobres preferem se apegar a crença e aí reside a sua grandeza. Como o general Naamã, decidido em aceitar a palavra de fé de uma menina. Como Noemi, que mesmo diante de infundado boato decide acreditar. Como Davi se manteve em constante movimento por 20 anos. Fugindo de Saul e esperançoso que fosse encontrar seu propósito além das areias e dunas da existência casual (Sl 118. 7).

“O SENHOR está comigo entre aqueles que me ajudam;
por isso verei cumprido o meu desejo sobre os que me odeiam”. (Sl 118. 7 – ACF)

Davi nos convida a enxergar o poder real que existe além das nossas atitudes, sua dimensão, seu alcance (v. 9). Se os nossos olhos conseguem perceber o agir invisível de Deus, a paz se torna numa coisa real em nossas atitudes (v. 10). Davi nos convida a saborear do seu lugar de descanso e confiança! (v. 11)

A fé perfeita traz paz e descanso. Diferente da ‘ansiedade e das solicitudes desordenadas’, que cumprem papel de espantalho, afugentando de nossos corações a crença que poderia produzir confiança. A ansiedade transforma nossos corações num ninho tecido de espinhos, abandonado, que não produz descanso e nem pode receber cuidados (Sl 36. 8).

“...Portanto vos digo: Não estejais apreensivos pela vossa vida”. (Lc 12. 22 – ACF)

Em síntese, o Salmo 46 conta a história dos 6 dias da criação; conta a história dos povos e aponta para o fim de ambos os processos. Em Deus encontramos o descanso perfeito (Shabat) e o governo perfeito (Cristo). A fé, não nos importando as lutas, sempre vai aperfeiçoar a si mesma no seu exercício, ainda que penoso. Não importa se as tramas nos quais estamos envolvidos é visível ou invisível. A fé nos aperfeiçoará em toda e qualquer circunstância. O que podemos perceber com ‘perfeição’ no caminho e confissão final de Jó (Jó 42. 5).

“Com o ouvir dos meus ouvidos ouvi, mas agora te veem os meus olhos”. (Jó 42. 5 – ACF)

Grandes tempestades são precedidas por imenso barulho (Ap 8. 5). Mas o agricultor descansa com o som das tempestades, por que é o que o seu coração e os seus campos precisam (Mc 4. 37, 38). O Salmista, assim como o agricultor descansa em seu trabalho, isso é, em sua crença. Nessa crença (v. 1, ‘fortaleza’, do Heb. Mahseh, que quer dizer “abrigo que protege do perigo) é que ele oferece o convite (v. 8/Sl 18. 2). A fé somente traz paz e a oferece quando possuída pelo coração (Rm 10. 9). Ela promove a paz que nos faz admirar as tempestades e lutas dessa vida, é ela que faz o convite ser atraente e convincente (Jo 16. 33).

Essa fé é vista ‘perfeitamente’ em Atos dos Apóstolos e deve ser encontrada em nós se queremos trazer as pessoas ao conhecimento de Deus que há em Cristo Jesus! (At 16. 25, 26)


Ney Gomes – 11/01/2015 - twitter@neygms
"Se trabalhamos e lutamos é porque temos colocado a nossa esperança no Deus vivo." 1 Timóteo 4.10






Postagens mais visitadas