Filipenses. Saber, viver e não ter a vergonha de ser feliz!

Saber, viver e não ter a vergonha de ser feliz!
“Não que eu já tenha obtido tudo isso ou tenha sido aperfeiçoado, mas prossigo para alcançá-lo, pois para isso também fui alcançado por Cristo Jesus”.
(Fil 3. 12 – NVI).

Foi em 2002 que ousei pela primeira vez escrever algo sobre a Bíblia baseado em meus estudos diários. E foi justamente sobre FILIPENSES que escrevi. Por isso é que agora em 2007 volto a escrever novamente sobre essa carta. Para comemorar meus 10 anos de vida em Cristo.
Nesses 05 anos que se passaram aprendi coisas que promoveram uma substituição em meus valores e conceitos, todavia, algumas, achei por bem conservar como verdade pessoal em meu EU. Uma dessas verdades, que tomei para mim mesmo, aprendi com o pr. Samuel, que foi meu primeiro referencial de Cristo. Ele [juntamente com sua esposa, a irmã Cris] me ensinou que conhecimento não ocupa espaço e seguindo seu exemplo [e ele sempre leu bastante], li o suficiente para compreender que nem sempre saber é símbolo de ser. E é exatamente essa verdade que Paulo expõe aos FILIPENSES em sua carta. Paulo é certamente o mais doutor de todos os Apóstolos e não é por caso que muitos eruditos lhe considerem o autor de HEBREUS. Com muita profundidade Paulo fala aos Filipenses se dando por exemplo, que nem sempre os que sabem muito sobre muitas coisas vivem na exatidão de seus conhecimentos. E é justamente aqui que ele expõe o seu entendimento perfeito sobre a vida Cristã (v. 12).O conhecimento em si não muda a nossa vida, simplesmente nos orienta quando temos através de um novo nascimento em Cristo o desejo sincero de algo novo (v. 16). Não dá para se viver só na letra, é necessário enxerta-la na carne (v. 17). Essa marca na carne tem um preço e é esse valor que legitima a vida Cristã de um individuo. Veja que a palavra grega para exemplo é tupos, que significa a marca de um soco, um golpe, a impressão de um selo, figura, imagem, molde. Conheço alguns lideres cujas palavras são orientadoras, porém seu modos vivendi é destruidor. Esse último estado em falsidade pulveriza a coluna sagrada da fé Cristã; que é uma crença digna de ser imitada. Ainda no mesmo versículo Paulo diz, “sede meus imitadores”, fazendo uso de uma palavra que significa ser co-participante em seu exemplo de vida e conduta (companheiro que imita, gr. Summimetes). Dessa forma bem expressiva percebemos que de nada vale saber e não viver. Alias, essa atitude nos constituí em inimigos declarados da Cruz (v. 18).
Saber ou dominar com excelência uma matéria não nos torna na melhor autoridade sobre o assunto. As pessoas citadas no v. 18 pelo Apóstolo estão dentro da igreja, emitindo seu parecer sem profundidade sobre os valores transmitidos pelos Apóstolos. Elas estão nas diversas camadas da igreja, e sua natureza sensual é tão poderosa que eles separaram Cristo da Cruz, rejeitando para o seu prazer somente o último (v. 19).
Eu ou qualquer outra pessoa pode falar com facilidade sobre algo que em particular mal se vive, basta para isso enganar as pessoas certas e ter oportunidade. Depois disso, o estrago estará feito (II Tm 2. 18). Se existe uma preocupação legitima na vida Cristã, certamente é com a busca e com o “SER” exemplo. Pois ser de Cristo significa evidencia-lo em nossa maneira de viver, em palavras e atitudes (II Tm 3. 10). A regra de ouro da Cristandade é: Viva de acordo com o que aprendeu (vs. 15a/ 16) e rogue a Deus que lhe ensine mais (v. 15b).Admito porém que é mais fácil encher uma igreja do que viver um grama de valor Cristão. E quem me contesta nessa afirmação? Basta ouvir as conversas nos corredores da igreja e abrir alguns jornais de grande circulação para se ter certeza que isso virá uma verdade massiva a cada dia. Quantos inimigos Cristo não tem sob o teto de sua igreja? São esses inimigos [da Cruz] e não o diabo que têm feito valer a verdade de Mateus 24. 12 que diz: “Por conta da iniqüidade o amor de muitos se esfriará”. Ser um exemplo! Por isso Paulo luta e batalha, conformando-se assim com Cristo nesse desejo (v. 12b). Quem pensa que ser Apóstolo [profeta, evangelista ou pastor] é ser outra coisa que não seja isso, deve repensar seriamente seus valores de vida. Ser espiritual é se conformar com Cristo em Seu caráter e atitude. Ser como Cristo é edificar as pessoas pelo exemplo e não pelas palavras somente (Ef 4. 12, 13).

Faço o que digo e não o que faço!
Olhe para Cristo, pois eu sou falho!
Cair é do homem e o levantar é de Deus!
A carne é fraca!
Deus conhece meu coração!

Onde essas desculpas esfarrapadas estão presentes, tem madeira queimando (v. 18). Pois quem quer viver se esforça. O resto arruma desculpas!

Ney Gomes

Postagens mais visitadas