O MELHOR QUE CRISTO DEIXA EM NÓS! (Tomo 01)


 

MARCAS DA PRESENÇA DE DEUS.

 

"Finalmente, fortaleçam-se no Senhor e no seu forte poder. Vistam toda a armadura de Deus, para poderem ficar firmes contra as ciladas do Diabo, pois a nossa luta não é contra seres humanos, mas contra os poderes e autoridades, contra os dominadores deste mundo de trevas, contra as forças espirituais do mal nas regiões celestiais. Por isso, vistam toda a armadura de Deus, para que possam resistir no dia mau e permanecer inabaláveis, depois de terem feito tudo. Assim, mantenham-se firmes, cingindo-se com o cinto da verdade, vestindo a couraça da justiça e tendo os pés calçados com a prontidão do evangelho da paz.  Além disso, usem o escudo da fé, com o qual vocês poderão apagar todas as setas inflamadas do Maligno. Usem o capacete da salvação e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus".  (Ef 6. 10- 18 – NVI).

 

  É normal encontrar calos na mão de um servente de pedreiro, marcas de corte na mão de um açougueiro, e até a ausência de dedos na mão de um carpinteiro. Alguns ofícios deixam marcas em seus "profissionais", nas mãos, nos pés, na cabeça e até no coração. Paulo teve todas as áreas de sua vida marcadas pelo seu apostolado, disso é claro ele mesmo dá testemunho:

"Porque eu trago no corpo as marcas de Cristo Jesus".(Gal.6: 17).

 

   Depois de certo tempo o ferreiro adquire resistência ao calor das fornalhas. E se nos dedicamos à vida Cristã com intensidade, adquirimos resistência as fortes oposições que encontramos no dia-a-dia de nosso particular universo. Se você usa uma armadura constantemente, vai adquirir marcas em seu corpo; ombro, cabeça e pé. Com muita freqüência algumas marcas viram cicatrizes, é o caso de pessoas que levam seu trabalho muito a sério. Cicatrizes geralmente são feias, mas em alguns casos apreciáveis. Quais são as marcas que uma armadura pode deixar em nosso corpo que é templo do Espírito? O que cada uma delas pode nos dizer sobre seu dono? (II Cor. 11: 25).

 

  † Se eu tenho as marcas do cinto, tenho marcas de SERVIÇO. Servir é a palavra que menos ouvimos hoje, hoje se fala muito de prosperidade, vitória, resposta, mas pouco ou quase nunca em serviço (Rm. 12: 7). O cinto era usado para dar mobilidade as roupas. Não usamos cinto depois que tomamos banho no fim da noite, usamos uma roupa leve e algumas pessoas nem usam roupa "de baixo". Cinto fala sobre sacerdócio, isso é sobre vida Cristã, uma vez que somos uma nação sacerdotal (I Pe.2: 9), sacerdócio é serviço e Cristo ao se revelar em Apocalipse é visto com um cinto de ouro (1: 13). Servir é um privilégio para quem ama a Deus e até nosso Senhor disse ter vindo para servir (Mar.10: 45 – João. 13: 1,5).

 

  † Se eu tenho as marcas da couraça, tenho marcas de VERDADE. A couraça era uma peça que protegia as partes vitais de nosso corpo numa luta, isso significa que se vivemos e praticamos a mentira não temos como lutar tranqüilamente num combate (João. 18: 37). As armaduras eram fornecidas pelo estado ou Reino, e distinguiam facilmente o soldado na guerra (Naum. 2: 3). Se você não vive na verdade, sua armadura não foi confeccionada no Reino de Deus e você não luta pela justiça. Cristo é a Verdade da qual temos que nos revestir, nossa armadura, proteção em tempos como o nosso, onde os valores da sociedade se distorcem rapidamente até mesmo dentro da igreja, que é considerada coluna e baluarte da verdade (I Tm. 3: 15). A coluna mais forte da igreja é o caráter transformado por Cristo Jesus (II Cor. 5: 17) Se existe uma coisa que me dá profunda repulsa é ver crentes mentindo e vivendo na mentira (João 8. 44). Mudar (mutatis mutandi) quando preciso tem sido a filosofia de muitos crentes, mas Cristo não muda nunca, seu caráter é imutável e o nosso deve ser como o dele (Hb. 13: 8 – Sl. 15: 4).

 

  † Se eu tenho as marcas das sandálias, tenho marcas de LONGAMINIDADE. O longânimo leva muito tempo para se desesperar, e quase sempre não se desespera. Sandálias falam sobre disposição para caminhar, e longaminidade é estar disposto a percorrer caminhos, explorar novas opções, se decepcionar sem perder o ânimo. Crer quando tudo não passa de uma simples possibilidade. Longaminidade é o fruto do Espírito que atua na área social de nossas vidas (Gal.5: 22), nos ajudando a lidar com coisas e pessoas que precisam de tempo para se resolver. De acordo com o comentarista da Bíblia Plenitude, a longaminidade ou paciência, como queira chamar, olha para as coisas que foram prometidas ao contrário da fé, que olha para quem as prometeu (Pág.1287, Heb. 6: 12 – nota de rodapé).

 

Ney Gomes.
"Se trabalhamos e lutamos é porque temos colocado a nossa esperança no Deus vivo." 1 Timóteo 4.10




Veja mapas e encontre as melhores rotas para fugir do trânsito com o Live Search Maps! Experimente já!

Postagens mais visitadas